IT – online

Notícias | Análises | Software Microsoft

Big e Open Data com potencial de crescimento de 206 mil milhões de euros na UE até 2020

Deixe um comentário

msft_novoUm relatório divulgado hoje sobre o impacto do ‘big e open data’ nos 28 Estados Membro da União Europeia (UE) concluiu que a transição para soluções orientadas por dados poderá representar um contributo de 206 mil milhões de euros para a economia europeia até 2020, o equivalente a um aumento de 1,9% no Produto Interno Bruto europeu.

O relatório demonstra que os ganhos serão sentidos em toda a EU28 e identifica ainda impactos no crescimento de 2,2% do PIB da Europa do norte (Bélgica, Dinamarca, Alemanha, Irlanda, França, Luxemburgo, Holanda, Áustria, Finlândia, Suécia e Reino Unido), de 1,9% nos novos Estados Membro (Bulgária, República Checa, Estónia, Croácia, Chipre, Letónia, Lituânia, Hungria, Malta, Polónia, Roménia, Eslovénia e Eslováquia) e de 1,6% no sul da Europa (Itália, Grécia, Espanha e Portugal). Os sectores identificados como os de maior potencial incluem o comércio (47 mil milhões de euros), indústria (45 mil milhões de euros), administração pública (27 mil milhões de euros) e cuidados de saúde (10 mil milhões de euros).

Realizado pelo Warsaw Institute for Economic Studies e com o patrocínio da Microsoft, o estudo ‘Big & Open Data in Europe: A growth engine or a missed opportunity?’ utiliza um modelo macroeconómico ascendente para estimar o potencial económico do big e open data. O modelo Big and Open Data Universal Impact Assessment (BOUDICA) incorpora dados detalhados sobre a economia europeia para fornecer estimativas de valor acrescentado para empresas em 21 sectores de cada país europeu.

 O grande potencial do big e open data na criação de serviços do sector público mais eficientes e transparentes é outra das conclusões chave do relatório. Desde apps que permitem aos habitantes das cidades planearem facilmente as suas deslocações em transportes públicos até à disponibilização de informação aos cidadãos sobre medidas de poupança de consumo energético nas suas casas, o relatório destaca o potencial para reforçar o controlo público, bem como para promover o debate sobre iniciativas e serviços governamentais. As pequenas e médias empresas e os empreendedores podem ainda beneficiar de um maior acesso ao financiamento e aos mercados e a eficiência melhoradas nos processos de negócio oferecidos por big e open data.

Para assegurar a vantagem competitiva da Europa através da exploração do big e open data, ao reduzir o desfasamento entre a inovação e a proteção do financiamento destinado a soluções de dados inovadoras, o relatório encoraja os criadores de políticas a trabalharem em conjunto ao nível da UE em diversas iniciativas, tais como o reforço do mercado único digital através da harmonização das regulamentações e normas de dados.

Dirigindo-se ao Parlamento Europeu no lançamento do relatório, o Presidente do Warsaw Institute for Economic Studies e coautor do relatório, Maciej Bukowski, salienta: “A Europa pode beneficiar de enormes vantagens para uma inovação acrescida e para o crescimento através da adoção do big e open data. No que se refere à UE em geral, a criação de um autêntico mercado único digital reduzirá as barreiras de acesso à indústria do big data, ao facilitar a criação de soluções de TIC pan-UE, universais, a custos reduzidos quer para os consumidores quer para o sector público. O desafio consiste em incorporar big e open data numa agenda de reforma mais ampla para a Europa: uma que reflita as realidades económicas pós-crise e impulsione novos mecanismos para o futuro crescimento económico.”

Jan Muehlfeit, Presidente da Microsoft Europe, acrescentou: “O big e open data irá abrir caminho para novo crescimento, novos empregos e novas oportunidades para todos os Europeus, através da redução de custos, da criação de economias de escala e ao tornar mais fácil o acesso à inovação tecnológica. Podemos já assistir a este potencial na Europa, em cidades como Manchester, por exemplo, em que o projeto ‘Transport for Greater Manchester’ utiliza o Windows Azure para alojar uma nova plataforma de dados open em tempo real que ajuda os utentes a planear as suas deslocações. A utilização de big e open data é outra fase da constante revolução das TIC: a que poderá ajudar a Europa a manter-se competitiva e inovadora.”

Autor: nuno silva

IT Professional | Windows Insider MVP | Microsoft MVP - Windows Experience (2014-2016)| Microsoft Technical Beta Tester (Windows International Team)|MCC | Microsoft IT Advisory Council Member | Certified Microsoft Windows Phone Expert | Microsoft Virtual Academy Student | Windows Team Division Manager @ Microsoft Group Portugal (Facebook)

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s