IT – online

Notícias | Análises | Software Microsoft

Microsoft Portugal anuncia vencedor nacional do Imagine Cup 2011

Deixe um comentário

A equipa do IPCA venceu a Final Nacional do Imagine Cup 2011, a maior competição mundial de tecnologia dirigida a estudantes do ensino superior, promovida pela Microsoft. A equipa irá agora representar Portugal na Final Mundial, que terá lugar este ano em Nova Iorque, no próximo dia 8 a 13 de Julho, com o projecto RescueMe.

 A competição reuniu jovens talentos de todo o país que apresentaram aplicações tecnológicas de raiz para a competição, subordinada à temática “Imagina como aplicar a tecnologia para resolver os problemas sociais mais complexos do planeta”, tendo como referência os 8 desafios do Milénio definidos pelas Nações Unidas. À Final Nacional do Imagine Cup 2011 chegaram cinco equipas na categoria de Software Design.

 Na sua 9ª edição mundial, e 8ª em Portugal, o Imagine Cup prossegue, assim, o seu objectivo de desafiar e estimular a criatividade e inovação tecnológica de estudantes universitários de todo o mundo, tendo por base valores sociais e humanitários. Os projectos apresentados este ano cobrem uma grande variedade de tecnologias mais recentes da Microsoft e das quais são exemplo o Windows Azure, o Windows Phone 7 e o Windows Multitouch.

 De acordo com José Fernandes, Director de Apoio ao Desenvolvimento e Academias da Microsoft Portugal, “o Imagine Cup pretende não só estimular e desafiar a criatividade destes jovens, mas também dar-lhes a oportunidade de concretizarem o seu potencial, colocando os benefícios da tecnologia ao serviço de causas sociais e humanitárias. É nossa firme convicção de que podemos, através da tecnologia, promover um maior desenvolvimento social e ajudar na resolução dos problemas mais prementes que assolam a humanidade. Tendo como denominadores comuns a criatividade e a inovação tecnológica, o Imagine Cup é reflexo deste compromisso, na medida em que procura estimular estes jovens a darem um sentido útil à aplicação da tecnologia nos projetos que desenvolvem”.

 “Os projectos apresentados primam pela qualidade e inovação tecnológica nas áreas da saúde, sustentabilidade ambiental e responsabilidade social. A determinação, empenho e envolvimento destes jovens no Imagine Cup 2011 são para a Microsoft um grande orgulho e reflexo de que devemos prosseguir o nosso compromisso de elevar o acesso à tecnologia e aos seus benefícios a todos”, acrescenta José Fernandes.

 Projecto Vencedor

 A aplicação vencedora, RescuMe, de alunos do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave, é um projecto que apresenta uma plataforma tecnológica que assegura a gestão dos meios e das vítimas numa situação de emergência.

 Sendo este um dos maiores problemas que as equipas de resgate enfrentam no terreno e que na maioria das vezes se prende com a ausência de meios, medicamentos, material ou equipamento de apoio, mas também com a falta de capacidade de coordenação das equipas em controlar e distribuir da melhor forma possível os meios e recursos que têm disponíveis, esta equipa pretende através desta plataforma contribuir para uma melhoria das operações e, consequentemente, para uma melhor, mais rápida e eficiente ajuda às populações.

 Os vencedores da edição nacional do Imagine Cup na categoria de Software Design irão representar Portugal na final mundial do concurso a realizar, em Julho de 2010 em Nova Iorque e receberão adicionalmente, da Microsoft Portugal, a oferta da viagem e da estadia durante uma semana em Nova Iorque.

Cada elemento da equipa vencedora foi ainda premiada com um Netbook ASUS Eee PC, um controlador Kinect e um conjunto de aventura “A Vida é Bela”.

Projectos finalistas nacionais do Imagine Cup 2011

 A partir da participação no Imagine Cup, os estudantes universitários poderão utilizar a tecnologia para ajudar as franjas mais desprotegidas da população portuguesa, ou as instituições pertencentes aos Terceiro Sector (IPSS e empresas sociais) que com elas trabalham no terreno, a ter um melhor acesso à instrução, melhorar acessibilidades, encontrar novas abordagens para a medicina, endereçar problemas ambientais ou ainda descobrir métodos de combate à desigualdade entre géneros. O Imagine Cup constitui assim uma oportunidade para estes jovens poderem contribuir de forma efetiva para garantir a sustentabilidade de áreas menos favorecidas ou ajudar a proporcionar educação básica à escala nacional.

 O segundo prémio foi para a equipa 2.Grow, em representação do Instituto Superior Técnico

 Tendo como foco a preocupação com o ambiente, a agricultura e a fragilidade no que respeita aos recursos que garantam a sua sustentabilidade e melhoria da qualidade de vida das populações, nomeadamente em países em desenvolvimento, esta equipa desenvolveu um projecto no âmbito do qual propõe o desenvolvimento de um conjunto de ferramentas que permitam preencher a lacuna existente ao nível do conhecimento, bem para alavancar recursos urbanos, rurais e remotos.

O terceiro lugar foi para PSC Software, do Instituto Superior de Engenharia de Coimbra

 Centrado na inclusão social, este projecto teve como preocupação as pessoas portadoras de deficiência e limitação mental e motora, que independentemente do seu potencial, vêem muitas vezes o seu acesso à tecnologia vedado. Motivados pela necessidade de criar igualdade de oportunidades e proporcionar a estas pessoas iguais condições de acesso à tecnologia, esta equipa de estudantes universitários desenvolveu um software que combina a aprendizagem pré numérica, numérica e alfabética e um dispositivo infravermelho que capaz de interagir diretamente com o software. Neste âmbito, o software procura ajudar estas pessoas a aprender, por exemplo, qual o valor que está associado a um determinado número, qual o lugar de uma letra no alfabeto, a diferença entre as várias formas geométricas, bem como entre as cores. O software ensina também a associação de palavras e objectos, fazendo uma simples conta de somar, subtrair e multiplicar. Todas estas funcionalidades são suportadas por uma interface intuitiva e de fácil utilização, que é acompanhado por som, facilitando assim a aprendizagem das pessoas com maiores dificuldades de aprendizagem.

Em quarto lugar ex-aequo ficaram as equipas FireCoat, do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave e One Cent for the World, do Instituto Superior de Engenharia de Lisboa:

 •FireCoat (IPCA)

 Tendo como ponto de partida a preocupação com o meio ambiente e impacto negativo que os incêndios florestais encerram enquanto um dos mais graves desastres naturais que afectam o mundo, de uma forma em geral, e determinados em perceber quais as maiores dificuldades que as corporações de bombeiros enfrentam no combate a esta realidade, esta equipa constatou que um dos maiores problemas reside na inexistência de sistemas móveis capazes de fornecer uma ajuda eficaz nos diferentes recursos disponíveis. Neste âmbito, o FireCoat apresenta-se como uma plataforma tecnológica que tem como principal objectivo apoiar e orientar, de forma controlada, planeada e eficiente, a atuação dos bombeiros.

 •One Cent for the World (Instituto Superior de Engenharia de Lisboa)

 Com o objectivo de promover a igualdade no acesso à informação, ao progresso e ao desenvolvimento tecnológico, canalizando a solidariedade dos países mais desenvolvidos para os países mais pobres, o projecto One Cent for the World baseia-se na premissa de doar um cêntimo aos países menos desenvolvidos, através da acção solidária e conjunta dos países mais desenvolvidos. Para levar a cabo esta premissa, a equipa de estudantes do Instituo Superior de Engenharia de Lisboa criou uma plataforma de comércio eletrónico através da qual é possível efetuar pagamentos, sendo que por cada pagamento, um cêntimo é doado para uma organização humanitária. Esta doação poderá reverter a favor de uma organização que esteja dar resposta a um dos objetivos do Milénio e que estejam relacionados com a compra efetuada. Neste sentido, se o consumidor comprar alimentos, o cêntimo reverterá a favor de uma organização cuja atuação vá no sentido de acabar com a fome no mundo.

 Júri e Critérios de avaliação

A avaliação das candidaturas nacionais foi feita por um júri presidido por José Fernandes da Microsoft Portugal e constituído por Carlos Oliveira, Pathena, Cristina Ruiz, Universia, Paula Ramos, Lift Consulting, Tiago Cardoso, Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, Miguel Neto, Instituto Superior de Estatística e Gestão da Informação e Carolina Afonso, ASUS.

 Cada elemento do júri atribuiu uma pontuação de 1-10, de acordo com a definição do problema; o design e modelo de negócio (inovação, impacto na sociedade, eficácia, user experience); a apresentação do projecto; e o desenvolvimento (perspectivas de evolução do projecto).

 Mais informações:

Autor: nuno silva

IT Professional | Windows Insider MVP | Microsoft MVP - Windows Experience (2014-2016)| Microsoft Technical Beta Tester (Windows International Team)|MCC | Microsoft IT Advisory Council Member | Certified Microsoft Windows Phone Expert | Microsoft Virtual Academy Student | Windows Team Division Manager @ Microsoft Group Portugal (Facebook)

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s